Para mim, foram 4 os momentos mais marcantes

Quando cheguei à sede do Falcão no dia 25 de Janeiro de 2012, dia da saída para o Acampamento Geral dos 30 anos, às 7 horas da manhã, eu estava mal. Eu não conseguia ser o Lobo Gris de costume.

Nunca antes em minha vida eu tinha ficado tão mal (graças a Deus eu não estou exagerando para fazer drama). Uma virose importada de Salvador tinha acabado com as minhas energias em apenas uma noite.

Uma receitinha aprendida com o motorista do taxi no translado do aeroporto para casa me dava esperanças de ter uma viagem mais tranquila até Mogi.

“É batata! Não falha nunca. Você mistura agua, maizena, limão e pronto!”

Funcionou por quatro dias! Mas eu só comecei a recuperar minhas energias no final da tarde, após uma dormidinha de 20 minutos em um dos beliches do espaço “DORMIR”.

Aos poucos fui recuperando o meu jeito Lobo Gris de ser e, no final do dia seguinte eu já estava 100% recuperado. Provavelmente foi a Lama daquela região (água + terra: segundo a receita da Lina).

Para mim, foram quatro os momentos mais marcantes deste acampamento:

  1. Quando o meu filho Jõao Felipe (6 anos) atravessou sozinho um lago gelado pela falsa baiana construida pelos Escoteiros (coisas do Akelá Hirata) e a minha câmera de filmar não funcionou.
  2. Quando o meu filho Pedro Luís (11 anos) foi chamado à frente no Fogo de Conselho para contar como havia se transformado em uma árvore para não ser pego no jogo noturno. Esta eu consegui filmar.
  3. Quando eu, a minha linda esposa chefe Kotick (Marcia) e o chefe Fao (Ueda) começamos a contar estórias improvisadas no espaço “DORMIR”. Era assim: um lobinho falava o nome de um lugar e outros três lobinhos, objetos deste lugar. Em seguida nós improvisávamos uma estória neste lugar e nos transformávamos nos personagens “objetos”. Todas as luzes apagadas, os lobinhos em seus sacos de dormir e os chefes com suas lanternas se intercalando na arte do improviso. Foi muito divertido! No dia seguinte os lobinhos apelidaram a atividade de “Estórias sem Noção” e pediram mais.
  4. Quando decidi ler um texto que havia escrito momentos antes da cerimônia de encerramento.

Lembro-me claramente:

Quando me posicionei na boca da ferradura para ler o texto, sem que eu pedisse, o grupo todo juntou-se ombro a ombro para me ouvir. O silêncio assumiu sua posição. Só se ouvia o som dos carros passando na estrada ao lado. Precisei me conter para não começar chorando. Lembrei-me da Cristina falando: “Se a gente não controla a emoção, não consegue falar”.

Então comecei:

Sorrir, Aprender e Voar é #TDB do Falcão

SORRINDO de corpo e alma chegamos ao fim de mais um incrível e emocionante acampamento de verão do Falcão Peregrino.

Neste momento nosso sorriso não tem a mesma força que tinha quando chegamos nesta última quarta-feira. Estamos cansados, mas tenho certeza que, ao se recuperar, este sorriso brilhará mais forte do que nunca.

SORRINDO e brincando por cinco dias, APRENDEMOS.

Aprendemos lições que só um convívio escoteiro em acampamento pode oferecer.

Aprendemos lições que jamais serão esquecidas.

Imagens e sensações únicas do Acampamento Geral de 30 anos do Falcão Peregrino.

Imagens e sensações individuais que serão compartilhadas com muita alegria, amor e orgulho.

 Nossos pioneiros sabiamente nos mostraram que uma única pena não faz o Falcão VOAR.

 Mas que pena! Chegamos ao fim.

 SORRINDO e brincando por cinco dias, APRENDEMOS que somente juntos podemos VOAR. E isto é #TDB do Falcão.

 

Comentários
Uma resposta para “Para mim, foram 4 os momentos mais marcantes”
  1. Isabel_kawato disse:

    Lobo Gris, vc e sua linda família… é #TDB do Falcão!!!! Amamos vcs!

Deixe seu comentário

Você deve estar logado para escrever um comentário.