Quero saber: A Foto do Hirata

Olá! Eu sou o Alex o paizão. Somos novos no Falcão e eu sou o pai do Jaiminho, o lobinho gordinho. Hoje vou entrevistar o chefe George Hirata, que é um dos finalistas de um concurso internacional de fotografia:

 

Alex: Olá chefe George Hirata, eu sou o Alex o pai do Jaiminho, aquele lobinho gordinho e desajeitado. Somos novos aqui no Falcão e “tamos pegando” as coisas ainda. Vi que você está participando de um concurso de fotografia com uma bela foto. Parabéns! Primeira pergunta: Você posicionou todas as crianças para a foto ou elas estavam daquele jeito mesmo ?? Por que para juntar um monte de pentelhos é complicado né…

Hirata: Sabe que essa é uma das grandes vantagens do escotismo, temos um código já bastante treinado com os pequenos: quando gritamos “Lobo, lobo, lobo!”, eles imediatamente respondem “Lobo!” e se reúnem rapidamente em volta do chefe que gritou, aguardando ansiosamente por alguma atividade interessante, ou alguma instrução importante. Porém, a foto que tirei foi em um momento de descontração, os jovens estavam curtindo a árvore, subindo e descendo por todos os caminhos possíveis. Apenas mirei e cliquei a foto.

 

Alex: E onde a foto foi tirada? Que árvore mais linda não?

Hirata: A foto foi tirada de uma árvore figueira centenária que fica no pátio da escola em que está localizada a sede do Grupo Escoteiro Aldo Chioratto, em Taubaté. Nossos lobinhos realizaram um acantonamento conjunto com os lobos de lá. Foi uma integração maravilhosa. Os chefes do Aldo foram muito receptivos e agora moram no coração de muitos falcões.

 

Alex: Você é fotógrafo, amante de fotografia, tem os dons mesmo ou foi cag***… Quer dizer, sorte de estar no lugar certo e na hora certa?

Hirata: Tenho apenas conhecimentos básicos adquiridos em um curso de fotografia. Gosto muito mais de registrar os momentos para guardá-los como lembrança do que como uma obra de arte fotográfica. Posso dizer que tive o privilégio de estar no lugar certo na hora certa.

 

Alex: E a foto está concorrendo no concurso certo? Que concurso é esse e como você ficou sabendo para se inscrever?

Hirata: Fiquei sabendo do concurso por um amigo faltando apenas alguns dias para encerrar as inscrições. Trata-se do primeiro concurso internacional de fotografia escoteira organizado por um site de imagens escoteiras. O objetivo era participar com uma foto que demonstrasse a essência do escotismo. Ele também descobriu por acaso, não sei dizer como, e insistiu que eu deveria enviar justamente essa foto, que eu já tinha compartilhado em minha página do facebook desde o ano passado.

 

Alex: E para você ganhar, o que precisa? É voto popular? Como podemos votar e fazer essa foto ganhar?

Hirata: Das 427 fotos que foram enviadas até o dia 31 de março, foram escolhidas dez por uma equipe de jurados do site organizador. A partir de agora, embora eu não considere uma forma muito justa de escolha, a escolha da melhor entre as dez fotos será feita através de voto popular, utilizando a ferramenta do facebook “curtir”, ou “like” em inglês. Para votar é necessário ter uma conta no facebook. Basta procurar pelo meu nome, encontrar no meu mural qualquer publicação contendo a foto do concurso, clicar na foto e depois em curtir na foto que mais gostar, não necessariamente na minha é claro. Também pode curtir mais de uma foto.

 

Alex: Você é o único brasileiro no concurso, certo? Vi que estão concorrendo fotos de outros países. E eu nem sabia que existia escotismo nesses países também. O escotismo está no mundo inteiro? Em quantos países?

Hirata: Atualmente o escotismo está presente em 162 países. Isso significa que apenas 6 países do mundo não tem escoteiros. É o maior movimento juvenil organizado existente no mundo todo. No concurso estão inscritas apenas fotos de países da América Latina. Nesta fase do concurso, estou concorrendo contra duas fotos argentinas, duas colombianas, duas peruanas, duas hondurenhas e uma mexicana.

 

Alex: E no mundo inteiro é a mesma coisa? Digo, a mesma idéia, filosofia, atividades?

Hirata: Esse é realmente o ponto forte do escotismo. Ele é baseado no método escoteiro desenvolvido por um ex-general e herói britânico, Robert Baden-Powell, que propõe atividades ao ar livre, trabalhos em equipes, aprender na prática tudo baseado em um sistema motivador que leva o jovem a aprimorar suas capacidades e habilidades, firmando um compromisso com a pátria, com Deus, com o próximo e consigo mesmo. O método realmente funciona e foi adotado no mundo todo como um método de educação complementar à escola e à família.

 

Alex: Então, por estar no mundo inteiro, acontecem atividades conjuntas mundiais? Tipo Copa do Mundo, Olimpíadas ?

Hirata: O tempo todo acontecem encontros distritais, regionais, nacionais e internacionais. No ano passado, tivemos um encontro mundial na Suécia. Esses encontros são chamados de Jamborees na linguagem do escotismo. O próximo encontro mundial será no Jamboree do Japão, em 2015. O encontro mundial acontece como as copas do mundo e as olimpíadas, sempre de 4 em 4 anos.

 

Alex: E o Falcão costuma aparecer nestes eventos? A mãe do Jaiminho queria muito que o nosso filho fizesse algum tipo de intercâmbio no exterior… Sabe, para conhecer outras pessoas e culturas.

Hirata: Uma das prioridades do nosso grupo escoteiro é participar de todos os encontros mundiais e, sempre que possível, também de outros encontros internacionais. É uma oportunidade imperdível de conviver com jovens de diversos países, com um sentimento de fraternidade, onde prevalece a paz e a harmonia. O que aprendemos participando de um evento como esse é para a vida toda.

 

Alex: E quando é o próximo evento? O Jaiminho é lobinho, ele vai poder participar? Seria muito legal se ele tivesse uns amiguinhos de outros países.

Hirata: O evento mais próximo será um encontro nacional no Rio de Janeiro. Nossos escoteiros e chefes certamente participarão desse evento. Em janeiro, alguns de nossos jovens participarão de um encontro internacional na Colômbia. Os lobinhos não participam, pois a idade mínima varia entre 12 e 14 anos, dependendo da organização local. Dependendo da idade do Jaiminho, ele vai poder participar do Jamboree do Japão ou do Jamboree dos EUA. Minha filha Kaori, hoje com 8 anos de idade, poderá participar somente do Jamboree mundial organizado pelos Estados Unidos em 2019, quando completará 15 anos. Já meu filho Erik, que participou do Jamboree da Suécia com 14 anos, vai para o Jamboree do Japão como staff (equipe de serviço) pois já terá mais de 18 anos, limite máximo para participar dos encontros mundiais como jovem.

 

Alex: Você está aqui no Falcão˙há quanto tempo? Já participou de alguma atividade internacional? O que você pode dizer dessa experiência?

Hirata: Minha vida escoteira como jovem ocorreu em outro grupo escoteiro, no Coopercotia. Comecei como lobinho em 1971 e lá fiquei até me tornar assistente da alcateia, entre os anos de 1984 e 1986 e chefe da tropa sênior nos anos de 1987 e 1988. Em 1992, assumi a tropa sênior do Falcão Peregrino, mas fiquei apenas por um ano. Voltei para o Falcão quando o Erik, meu filho, entrou na Alcateia, em 2004. Participei do Jamboree Mundial do Canadá, em 1983, como jovem e do Jamboree Mundial da Suécia, no ano passado, como escotista (chefe escoteiro).  É a maior aventura que um escoteiro pode almejar, inesquecível, marcante. A possibilidade de encontrarmos pessoas de diferentes culturas unidas por um ideal, nos faz sentir parte de uma família imensa. As diferenças ficam bem pequeninas. Sentimos verdadeiramente que temos irmãos em todos os cantos do mundo.

 

Alex: Puxa que dahora! Voltando para o concurso de fotografia, se você pudesse resumir em uma frase a sua fotografia, qual seria? 

Hirata: Um pé de lobinhos.

 

Alex: O Jaiminho, por causa da sua fotografia, inventou que quer ser fotógrafo. Ele até fez uma câmera com uma caixa de cereal. Qual é a dica que você pode passar para ele fotografar tão bem quanto você?

Hirata: Obrigado pelo elogio, mas não me considero um bom fotógrafo. Quando estou com a máquina vou fotografando tudo que me emociona, que me deixa contemplativo, que me faz sentir bem. Gosto muito de fotografar pessoas, para nunca mais esquecê-las. A dica para o Jaiminho é aproveitar as máquinas modernas que permitem que possamos treinar muito sem ter muito gasto. Tire muitas fotos e vá comparando umas com as outras e com fotos de revistas, jornais e internet. Vai chegar um momento em que ele vai conseguir algumas boas fotos.

 

Alex: Chefe Hirata, eu agradeço imensamente a conversa e mais uma vez parabéns pela foto. Vou votar nela já! Me despeço agora, o Jaiminho tá me chamando para ir embora porque a tia dele vai levar ele na FNAC para comprar uma câmera fotográfica para ele. Abçs e até a próxima!

Hirata: Agradeço, de coração, pela entrevista que vai me ajudar a divulgar o  escotismo e o concurso de fotografias.

________

 

Para votar na foto clique aqui!

 

Deixe seu comentário

Você deve estar logado para escrever um comentário.