COMO UM FALCÃO APRENDE A VOAR?

por Lucy Abe

Você se recorda de como foi o 1º dia de sua família, aqui no G.E. Falcão Peregrino?
Um misto de empolgação por ver o seu filho (a) solto pelo gramado, misturado a um certo desentendimento ao observar tantas atividades acontecendo ao mesmo tempo em toda a sede.

E inevitavelmente, vieram as perguntas: “ O que está acontecendo? E eu? O que posso fazer?”De alguma maneira, foi mais ou menos assim que aconteceu conosco, não é mesmo? E independentemente se tínhamos ou não alguém conhecido no Grupo, o fato é que a partir de algum momento, tornávamos somente nós, Pais e Mães andando pelo pátio coberto, ora sentados no banco de concreto, ora tomando um café e esperando…esperando algo acontecer.

Com o tempo é verdade, uma parte foi se enturmando, interagindo e encontrando o seu espaço para participar seja na cantina, na secretaria, no bazar, nas chefias. Mas daí, já se passaram meses, às vezes até anos.

O que nos faz constatar que não é somente a criança ou o jovem que entra para o movimento escoteiro, mas sim toda a família! Não por acaso, cada vez mais os PAIS tornam-se peças chave, em outras frentes fundamentais para o apoio e estruturação das atividades escoteiras.

Mas então, por que não facilitar essa etapa inicial quando as famílias estão ingressando no Grupo?
Como promover um melhor entrosamento destas, para sentirem-se o quanto antes, parte integrante da “família Falcão”?

Foi com esse olhar de compartilhar, doar o nosso melhor e contribuir para o bem do outro, que 5 mães se uniram e fizeram nascer o VOAR – Voluntários para Orientação, Acolhimento e Recepção das Famílias do Falcão. Um projeto para facilitar a comunicação, esclarecimentos práticos e a troca de experiências, encurtando assim os caminhos para integração com o G.E Falcão Peregrino.

E nada melhor e mais apropriado do que nos reunirmos ao redor de uma mesa, para almoçarmos todos juntos. Assim, no último sábado 17/03/18 aconteceu em nossa sede, o 1º Almoço de Boas-vindas, onde as famílias do VOAR, pais e mães novos e chefias dos Castores e ramos Lobinho / Escoteiro e Senior, preparamos juntos uma típica macarronada à bolonhesa com salada e as crianças, finalizaram um delicioso brigadeiro de colher, decorando-os com confeitos de chocolate.

Também lobinhos e escoteiros, filhos (as) das mães do Voar, contribuíram na recepção das famílias, identificando-as carinhosamente com um crachá, o que proporcionou já nos conhecermos melhor, pelo nome de cada um.

O resultado dessa ação conjunta? Descontração, alegria, diversão, além de depoimentos que tocaram nossos corações!

Ainda que tudo caminhe normalmente como sempre foi, renovar padrões que visam beneficiar ao grupo como um todo, mostra-se cada vez mais como uma escolha que faz a diferença. E claro, usando das referências e aprendizados adquiridos na vivência e convivência, proporcionando um bem estar e harmonia ainda melhores.

É colocar o amor e o afeto em movimentos constantes, tornando ainda mais especial a trajetória escoteira! Um falcão peregrino tem no seu instinto natural, voar longas distâncias a velocidades surpreendentes.

Então, vamos VOAR!

 

Deixe seu comentário

Você deve estar logado para escrever um comentário.