Cuidados importantes – COVID – 19

Olá família Falcão!

O Grupo Escoteiro Falcão Peregrino está atento aos noticiários e comunicados sobre o Coronavírus e desde co início de março de 2020 desaconselhamos as atividades escoteiras presenciais, inclusive em pequenos grupos. Inclusive as atividades de sábado do grupo estão sendo feitas on-line.

Há uma avalanche de informações e consideramos importante entender o motivo dessas orientações para que haja maior convicção e adesão na prevenção (Vejam as imagens abaixo na sequência).

Sobre Amarras e Elásticos

Por – Chefe Ricardo Aurelio Roverso Abrão (Diretor Presidente GE Falcão Peregrino)

Foto – Chefe Maria Arizono Akagi

Boa noite a todos da Família Falcão!

Tivemos, nesse final de semana, mais uma linda prova de que o mundo melhor é real e está presente quando fazemos escotismo em família. Conseguimos viver intensamente a realidade deste “mundo melhor” quando entendemos que as amarras japonesas que nos unem precisam ser travadas por tiras elásticas tensionadas com o mais puro amor. São essas tiras aparentemente incômodas que permitem a longevidade de uma construção bela e eficiente. São elas que têm a responsabilidade de pressionar suavemente, na esperança de que as amarras não se soltem e de que a estrutura possa seguir cada vez mais sólida. Sem as amarras não teremos a união de que precisamos. Sem a constante e gentil tensão dos elásticos não teremos sustentação para perseguir nossos sonhos. O que é certo é que tanto amarras e elásticos, quanto nós da Família Falcão, servimos ao mesmo propósito: a união.

E a nossa festa confirmou mais uma vez que um mundo melhor é possível, é real em torno da nossa família escoteira.

SAPS!⚜

Somos eternos aprendizes com olhar de criança

Por Gláucia Viola

Desde os idos dos anos 1980 que tenho um apreço pelo Movimento Escoteiro. Conheci, lá pelos 7 anos de idade, um grupo que fazia atividades dentro do clube que minha família frequentava. Meus pais, maravilhosos mas de educação conservadora, nunca me deixaram participar. Sendo assim, nutri um encanto platônico, pois cresci com a sensação de que era coisa para criança. 

Muitos anos depois, já mãe, vi uma turma de lobinhos fazendo atividade externa próximo à sede. Fui me informar com um dos chefes, que me orientou a fazer a inscrição no Grupo Escoteiro Falcão Peregrino. Aguardei uma vaga para minha filha por quase um ano. Ingressamos no grupo de forma tímida mas muito felizes pela oportunidade. Lembro que no dia em que Luna Gaia fez a promessa de lobinha e ganhou o lenço, a emoção foi tamanha que eu chorei compulsivamente como criança…

Aos poucos me aventurei em algumas atividades de cooperação. Na primeira cantina de que participei, a reação primária foi relatar minha total falta de habilidade na cozinha. Experimentei, então, voltar a ser criança aprendendo uma coisa novíssima na minha vida: ralar cenouras!!! Fiz com a dedicação de uma aprendiz acompanhando as gargalhadas de outros pais de apoio. Cozinhar nunca foi tão divertido. Meu lado criança se manifestou de novo e aquela foi uma grande tarde de aprendizado delicioso para mim.

Chegou o convite para um acantô. Lá fui eu com a mesma falta de habilidade, mas com muita vontade de ajudar. Me senti a pessoa mais importante do mundo por ser responsável por cortar os legumes. E olha como o treinamento com as cenouras foi valioso aqui (rsrsrsrsrs). E identifiquei mais uma lição: de que, no trabalho em equipe, nossa tarefa, por menor que seja, quando bem realizada, faz toda a diferença. Minha criança interior se encheu de orgulho por aprender mais uma vez.  

Alguns acantôs, cantinas e cinco anos depois, essa mãe quarentona entendeu que o Movimento é mesmo coisa de criança. Dessa criança que nunca morre dentro da gente e que está sempre aprendendo algo com brilho nos olhos. Com um ralador nas mãos ou apenas na observação, colecionei (e coleciono) inúmeros aprendizados…

E então posso dizer que cresci mais uma vez! Afinal, o Falcão ensinou-me a ser uma mãe melhor, pois aprendi a dar mais autonomia para minha filha. Aprendi a incentivar sua capacidade nas tarefas mais desafiadoras. Aprendi a estimular suas conquistas e acolher as derrotas para que ela possa lidar de maneira simples com as duas situações. Aprendi a admirar seu desenvolvimento como cidadã. Aprendi a confiar nas suas decisões. Aprendi a respeitar sua visão crítica. Aprendi a escutar seus argumentos, mesmo os que não foram possíveis aceitar.

E continuo crescendo como ser humano, pois aprendi a me encantar com a participação colaborativa. Aprendi a apreciar o envolvimento e dedicação do Grupo. Aprendi a admirar o compartilhar de emoções entre todos. Aprendi a acreditar em um mundo cada vez melhor!

E agora estou aprendendo a traduzir isso em forma de comuniCORAÇÃO! Um desafio e tanto, mas que abracei com a mesma força com que recebo os abraços de acolhimento.

O objetivo é mostrar como o coração desta grade família bate fora do corpo de cada Falcão.

E assim, crescermos juntos sem nunca deixarmos de ser crianças! Eternos aprendizes!  

Gratíssima por mais esse prazeroso desafio!

EQUIPE DE COMUNICAÇÃO – Coordenação e edição de texto: Gláucia Viola; Apoio e relações públicas: Júlia Matsuda; Preparação e revisão de texto: Daniela Marini; Arte e texto: Fabricio Rezende.

Homenagem ao Bicentenário

Bicentenário da Independência do BrasilNo dia 05 de Setembro, domingo, grupos escoteiros – entre eles o Falcão Peregrino – participaram ao lado de diversas entidades do Desfile de Homenagem ao Bicentenário da Independência do Brasil,  uma homenagem da colônia nikkey aos 200 anos da Independência.

O desfile teve lugar no bairro da Liberdade e contou também com a presença de representantes das forças militares CPOR, Marinha, Exército, Polícia Militar e Cavalaria, e de diversos grupos de taissô (ginástica), odori (dança), taikô (tambores), ninjutusu, karatê e kendô (artes marciais), cosplayers e cantores da colônia japonesa.

O desenvolvimento cívico dos jovens por meio do conhecimento das datas cívicas oficiais do Brasil e de sua história faz parte do programa educativo do escotismo.

O evento foi amplamente coberto pela mídia e pode ser assistido aqui.

6a Semana do Meio Ambiente

6a Semana do Meio AmbienteJovens e adultos voluntários do Grupo Escoteiro Falcão Peregrino participaram, no dia 05/06, das atividades da 6ª Semana do Meio Ambiente, organizada pela Distrital Sudoeste da Associação Comercial de São Paulo.

 

Mudas plantadas na Av. Eliseu de Almeida

Em equipes distribuídas em diversas localidades, envolvendo representantes não só do Falcão mas também das demais entidades que apoiaram o projeto, foram plantadas 500 mudas de árvore doadas pelo Cemucam.

 

A participação dos jovens na atividade contribui para o desenvolvimento da consciência ambiental conforme prega nosso programa educativo e beneficia diretamente as regiões atendidas pelo projeto, tornando o trajeto de motoristas e pedestres mais agradável e combatendo a poluição do ar.

Feliz dia do Chefe Escoteiro!

 

Hoje é dia daquele que doa seu tempo, seu amor, sua criatividade e a sua alegria!

Que brinca igual criança e que dá exemplo como adulto!

Que protege no amparo, mas também estimula o despertar para o mundo!

Que aponta caminhos e incentiva o outro a caminhar com os próprios pés!

Que se dedica em fazer o melhor possível e deixa um mundo melhor por onde passa!

Feliz dia do Chefe Escoteiro!

Sempre Alerta para Servir o Melhor Possível ⚜️💕

Um abraço virtual bem apertado em todos vocês que fazem a diferença 😊

Nascimento de Caio Vianna Martins

Você sabia?

Que hoje é um dia importante para o escotismo?

É o dia do nascimento de Caio Vianna Martina e se comemora a memória do menino que ingressou para o Movimento Escoteiro quando tinha 14 anos em Belo Horizonte.
Em 19 de dezembro de 1938, durante uma excursão noturna de 25 membros de seu grupo escoteiros para São Paulo, o trem em que estavam se chocou com um outro trem de carga que vinha em sentido contrário próximo a Barbacena, o que acabou provocando a morte de 40 pessoas. Após recobrar os sentidos e ainda atordoado pelo acidente, Caio, que na época era monitor de patrulha, não mediu esforços para ajudar as vítimas, começando pela busca dos amigos ainda desaparecidos. Os escoteiros fizeram uma grande fogueira com o que tinham de disponível nos vagões, o que auxiliou os trabalhos madrugada adentro.
As equipes de socorro só conseguiram chegar ao local do acidente pela manhã. Como não havia maca para todos, Caio se recusou a ser levado em uma delas dizendo: “Um escoteiro caminha com as próprias pernas”. Foi para a cidade a pé junto de seus amigos, porém mal sabia ele que seu estado era grave. Ao chegar, foi levado às pressas ao hospital, mas faleceu em consequência do rompimento de órgãos e sangramento interno.
Caio foi sepultado em Belo Horizonte, junto com mais dois amigos que morreram no choque entre os vagões.
Caio Vianna Martins é visto como um exemplo de bravura e até hoje continua inspirando escoteiros e escoteiras pelo mundo.
Essa história é lembrada como símbolo da coragem, do espírito de união e do servir que o escotismo estimula.
Quer saber mais sobre a história do movimento? Acesse escoteiro.org.br/visitantes e conheça o movimento escoteiro e suas histórias.

Sempre juntos, mesmo que distantes

Neste momento de isolamento social, a integração do Clã do GE Falcão Peregrino tem se mostrado essencial para manter o equilíbrio emocional de seus jovens. Em uma idade em que o contato com os amigos e o pertencimento ao meio social é potencializado, estar privado disso é realmente um grande desafio.

Mas os Falcões Pioneiros encontraram uma maneira criativa, inteligente e acolhedora de cuidarem uns dos outros. Toda semana eles se reúnem virtualmente para saber como foi a semana de cada um e também para debater filmes que foram escolhidos pelos próprios jovens. Eles assistem em suas casas e se encontram virtualmente para comentar e refletir sobre um longa ou um documentário. Uma maneira de estar com os amigos e também de expandir a progressão escoteira. Com integração, companheirismo e apoio coletivo, esses jovens discutem o momento atual, as projeções futuras mediante essa nova realidade e também temas polêmicos trazidos pelos filmes. Um deles deixou o debate bem interessante, com o documentário “The mask you live in” (A máscara em que você vive), com a pauta da igualdade de gênero e do machismo, e discutindo como isso afeta tanto as mulheres quanto os homens.

Um bravo para esses jovens que estão sempre juntos, mesmo que distantes pelo isolamento social.


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0